SBC Certificações participa de treinamento do Protocolo GLOBALG.A.P. na Alemanha e integra um trabalho que já alcança 188 mil projetos em 125 países

O Serviço Brasileiro de Certificações (SBC), empresa líder no mercado de fazendas certificadas para exportação de carne bovina à Europa, e que desde setembro de 2018 trabalha com produtores de frutas e vegetais que desejam exportar para exigentes mercados internacionais, participou no fim do ano passado de um treinamento especial na Alemanha para dominar com mais profundidade as regras e normas que envolvem a mais importante certificação internacional de Boas Práticas Agrícolas, o GLOBALG.A.P. A empresa foi representada pelo Responsável Técnico GLOBALG.A.P. na SBC, Matheus Modolo Witzler, que participou das atividades ao lado de setenta profissionais de diversos países, como Estados Unidos, Grécia,Turquia, Austrália, Bélgica e Polônia.

As atividades foram realizadas na cidade de Colônia, sede do GLOBALG.A.P.,e ocuparam dois dias intensos. A primeira fase foi mais técnica, para os formadores internos GLOBALG.A.P. dentro das certificadoras, os agentes que atuam no capacitação dos auditores e da equipe interna, interpretando as normas e repassando detalhes da regra geral e dos escopos envolvidos no protocolo: fazenda, vegetais (frutas, vegetais) e grãos. “O GLOBALG.A.P. demanda rotineiramente esses treinamentos e algumas atualizações. Eles promovem vários durante o ano, em diversos lugares do mundo. É um curso pesado, técnico, dois dias inteiros, com prova complexa ao final, com oitenta e duas questões, para medir o conteúdo apreendido. A ideia é ter uma formação permanente, sempre reforçada em uma próxima atualização do protocolo”, explicou Matheus Modolo Witzler. Outro objetivo básico foi passar todos os critérios do check list, entender o que cada um quer dizer, o que cada um demanda, entender o caso a caso de cada país.  Além da interpretação do conteúdo, esclarecimentos técnicos, atualização das versões, os  guias de interpretação, como formar os auditores e como eles devem proceder  em auditorias.

A segunda etapa concentrou-se na questão de atualizações e novidades em todos os escopos do protocolo, e foi dirigida aos gerentes de esquema GLOBALG.A.P., que representam a certificadora para o GLOBALG.A.P. Um profissional que cuida da comunicação, conhece as atualizações, resolve problemas. Uma área mais ‘central de comunicação’, mas também com um lado técnico. E destacou a preocupação atual com a interpretação das normas e o pleno entendimento sobre o que elas determinam. Em pouco mais de vinte anos, o GLOBALG.A.P. tornou-se a mais importante certificação internacional de Boas Práticas Agrícolas, envolvendo 188 mil projetos em 125 países, em um trabalho com 155 certificadoras espalhadas pelo mundo inteiro.  Um mercado que atrai cada vez mais empresários rurais interessados em obter novos clientes, reduzir a exposição ao risco da segurança alimentar e do produto, melhorar a eficiência dos processos e da gestão da propriedade, e valorizar o que produz por meio de uma conformidade com um referencial global reconhecido. Para a obtenção definitiva da acreditação GLOBALG.A.P., a SBC passou por auditoria do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INEMTRO), que avaliou e checou se os pontos para atender o protocolo estão sendo seguidos como o protocolo exige. A auditoria ocorreu na SBC, que também  foi acreditada para a ISO 17065, neste protocolo, e envolveu duas fases. A chamada “Auditoria Testemunhada”, quando o auditor do Inmetro e um especialista do protocolo GLOBALG.A.P. acompanharam o trabalho de um auditor da empresa atuando junto a um produtor cliente da SBC, e a auditoria de escritório, com dois profissionais do INMETRO vistoriando todos os documentos e as instalações da certificadora.

“Fiquei bastante animado com o GLOBALG.A.P. A estrutura deles é impressionante, com pessoas otimistas, determinadas a realizar. E o negócio é muito grande, promissor. A procura no mercado é enorme, incluindo várias áreas novas como flores, chás e aquacultura. A vantagem de ter participado de um treinamento assim é que ele é muito bom. Vi aspectos que precisamos aperfeiçoar, como os mecanismos de auditoria, critérios mínimos a serem vistos na auditoria ‘não-anunciada’, que o departamento comercial precisa estar afinado tecnicamente para entender qual a realidade do produtor, saber se ele tem outras unidades de beneficiamento de frutas ou não,  se tem produtos em paralelo ou não”, analisou Matheus Modolo Witzler.

E a animação ainda é embalada por outro número. Atualmente, a América do sul responde por 11,7% dos projetos do protocolo, com um panorama muito positivo de crescimento. “Temos um caminho para crescer e explorar. Os alemães têm um carinho muito grande pelo nosso país justamente por esse espaço que ainda pode ser conquistado. Queremos em 2019 entrar com tudo no mercado, com trabalho sólido, competente. Com auditores qualificados, vasta experiência em outros diversos protocolos, e entrar no mercado de frutas fortemente. Nosso objetivo é crescer muito, ter um bom volume de clientes no Brasil e também no exterior, começando com a América do Sul. Temos plenas condições de expandir os negócios da SBC internacionalmente falando”, concluiu Matheus Modolo Witzler.