Selecione o mês: Abril / 2017

  1. Concept Plus da Alta apresenta touros com desempenho fértil acima da média
    Fonte:Assessoria de Imprensa | Alta Genetics

    Programa é destinado para raças de corte. Nova bateria será apresentada em junho 

    A Alta, empresa de melhoramento genético bovino, possui em seu portfólio de programas destinados a ajudar o pecuarista a se desenvolver no mercado e ampliar resultados, o Concept Plus, e exclusivo de fertilidade do sêmen da companhia que identifica os touros com melhor fertilidade no campo em programas de IATF (Inseminação artificial em tempo fixo).

    Os touros identificados como Concept Plus possuem desempenho acima da média e são classificados após um processo que passa por coleta de dados no campo, filtro de qualidade e análise bioestatística para a apresentação dos índices de fertilidade. Os touros que apresentam desempenho abaixo da média têm suas vendas canceladas.

    “Em 2016, 78% dos dados que coletamos foram aproveitados. Hoje, são 75 técnicos em todo o país, 13 estados, a maioria no Centro-Oeste – Mato Grosso, Goiás e Mato Grosso do Sul, e 698 fazendas que trabalham com o Concept Plus e apresentam resultados superiores de fertilidade, o que ajuda o produtor a garantir a rentabilidade de seu negócio”, afirma Manoel Francisco de Sá Filho, Gerente de Programas Especiais Corte da Alta.

    Entre os benefícios, destaque para maior taxa de concepção, mais eficiência reprodutiva, menor taxa de descarte de fêmeas vazias, maior número de bezerros nascidos, filhos de IATF, e melhores resultados zootécnicos.

    O programa apresenta atualmente uma bateria de 54 touros, sendo Angus (52%) e Nelore (31%), as principais raças. “No ano passado, os touros Concept Plus foram responsáveis por 50% de todas as doses vendidas, o que comprova a eficiência e a qualidade de touros reconhecidos como superiores em concepção”, explica o Gerente.

    Para 2017, o programa irá prospectar novos colaboradores para coleta de informações e usar touros jovens, aprovados. “Realizaremos nos dias 23 e 24 de junho, o 3° Workshop Concept Plus, quando apresentaremos mais uma bateria de touros provados”.

    Mais informações sobre o ConceptPlus no site www.altagenetics.com.br.

    Sobre a Alta Genetics

    A Alta Genetics é líder no mercado de melhoramento genético bovino do mundo. Com matriz localizada em Calgary, no Canadá, atua em mais de 90 países com nove centrais de coleta: Brasil, Estados Unidos, Canadá, Argentina, Holanda e China. Com 20 anos de história no Brasil, a empresa está sediada na cidade de Uberaba/MG, e tem como missão orientar pecuaristas sobre a melhor maneira de usar a genética aliada ao manejo, nutrição, ambiente, gestão e todos os processos para garantir um animal com todo o seu potencial genético. O compromisso da Alta é criar valor, entregar o melhor resultado e construir confiança com seus clientes e parceiros, em busca do desenvolvimento da pecuária. Mais informações no website: http://www.altagenetics.com.br

    Data: 19/04/2017
  2. Referência em genética bovina, Select Sires lidera ranking em provas no mês de abril
    Fonte:Assessoria de Imprensa | Select Sires

    Entre os touros TOP 10 provados para TPI, 8 são da bateria SELECT SIRES.

     

    As provas das raças leiteiras do ano de 2017 tiveram sua primeira rodada publicada este mês.  Mais uma vez, a genética SELECT SIRES obteve êxito demonstrando superioridade e justificando que todos os produtores de leite do mundo utilizem a  genética SSB de  forma preferencial.

    7H12165 MONTROSS, líder na última prova divulgada em dezembro de 2016, permanece como Nº1 com GTPI +2744 e é o único touro da raça que ultrapassa as 3.000 libras para PTA LEITE. Atualmente 7H12165 MONTROSS está com 96% de acurácia e deve atingir os 99% em agosto. Outro destaque é  7H12266 YODER, Nº 2 para GTPI e consequentemente o  melhor entre os touros que tiveram a primeira prova em abril .

                Também dentro dos tops 10, os touros 7H11351 SUPERSIRE e 7H12198 KING BOY, apresentaram destaque. O KING BOY é muito utilizado no Brasil pelos produtores elite e confirma a lucratividade de sua genética. Nestes TOP 10 para GTPI, 9 são touros SELECT SIRES.

     

    Outro aspecto importante divulgado nesta prova é que entre o ranking dos 10 melhores, 7 são filhos de  touros diferentes, sendo 4 da genética  Select Sires e apenas MOGUL e Booken colocando mais de 1 filho entre os TOP10.

     

    Para as avaliações em TIPO PROVADOS, entre os touros provados o Nº1 segue sendo 7H11596 DEFIANT. Esse filho de Braxton apresenta PTA TIPO +3.60. 7H10506 GW ATWOOD segue entre os TOP5 com +3.44, assim como 7H11118 BROKAW.  7H12198 KING BOY é outro touro Select Sires entre os TOP10 para TIPO.

     

     HOLANDESES GENOMICOS:

                Todos os meses são liberados dados de novos touros Genômicos e isso as vezes pode confundir o cliente. Para pensarmos em questão de genética DISPONÍVEL, devemos utilizar como parâmetros touros que tenham completado 1 ano. Acima de 1 ano de idade, o touro Nº 1 da raça hoje seria 7H13598 PINNACLE com +2915 para gTPI.  O touro Nº 2 seria 507H13673 SSI HORSENS BLU 11 com +2907. O Nº 3 é 7H12941 REASON com +2888 seguido por 7H12940 BUBBA com +2884.

     

    Sobre a Select Sires:

    Considerada a maior central de cooperativas de inseminação artificial de bovinos do mundo, a Select Sires (SS) conta com alguns dos maiores e melhores programas particulares de melhoramento genético e de alta fertilidade para gado de leite e de corte. Mais informações através do site selectsires.com.br 

    Data: 18/04/2017
  3. Valmont anuncia ICON, primeiro Smart Painel no mercado
    Fonte:Assessoria de Imprensa

    Empresa vai apresentar inovação durante a Agrishow, em Ribeirão Preto (SP), em maio

    A Valmont, multinacional americana líder em irrigação de precisão, inova mais uma vez ao lançar mundialmente o primeiro painel inteligente para pivôs centrais do mercado: o ICON. A novidade tecnológica será apresentada em maio, durante a Agrishow, em Ribeirão Preto (SP), e irá surpreender o setor com funcionalidades como controle remoto a distância, sem necessidade de internet.

    “Na geração das SmartTvs e dos SmartPhones, o ICON aparece como o primeiro SmartPainel do mercado em, com certeza, vem para revolucionar a agricultura de precisão. Estamos dando um passo grande para um futuro mais tecnológico, eficiente e produtivo do setor”, comenta Vinícius Melo, gerente de engenharia e serviços da Valmont Brasil.

    Para o desenvolvimento, a empresa investiu muito em pesquisa e experimentos a campo, principalmente em contato direto com representantes e produtores clientes proprietários de pivôs Valley®. “Perguntamos quais funções eles precisavam, como utilizariam qualquer nova tecnologia, e o que tornaria sua rotina de trabalho melhor” explica Lenin Adams, Presidente da Valmont Global Irrigation.

    Os diferenciais do ICON começam pela estrutura, que foi desenvolvida com alto nível de resistência capaz de enfrentar as mais diversas condições de clima e tempo. Além disso, a tela é colorida e sensível ao toque.  Na parte interna, ainda mais inovação: o processamento é no mínimo duas vezes superior a qualquer equipamento disponível no mercado e a plataforma ainda é a mais amigável já utilizada. “É um painel inteligente capaz de receber outros recursos, como se conectado a sensores de umidade, temperatura e vento”, destaca.

    Mas a maior revolução do Icon está na possibilidade de controle direto do celular ou tablet, mesmo sem internet. “Ele permite o acesso remoto, evitando a ida até o pivô para o acionamento das operações. Para que esse controle a distância funcione, basta baixar o aplicativo ICON, disponível tanto para iOS, quanto para Android, e aí o aparelho móvel se transforma em um painel de controle, com a mesma interface daquele instalado junto ao pivô”, explica Vinícius Melo.

    A série ICON terá várias versões, pensadas para o pequeno, médio e grande agricultor, uma delas poderá ser instalada em pivôs de qualquer marca. O lançamento oficial do produto acontece durante a Agrishow que, este ano acontecerá de 01 a 05 de maio em Ribeirão Preto (SP).

    Data: 11/04/2017
  4. Alta traz produto inédito para o Brasil
    Fonte:Assessoria de Imprensa | Alta Genetics

    Imunidade do rebanho, maior produtividade e prevenção de doenças são alguns benefícios proporcionados pelo colostro bovino em pó

     

    A Alta, empresa líder no mercado de melhoramento genético bovino, inova em 2017 seu portfólio de produtos com o colostro bovino em pó, inédito no Brasil. Trata-se da primeira secreção láctea da vaca, o colostro, que contém todas as substâncias e os nutrientes importantes necessários para a sobrevivência e o desenvolvimento do bezerro ao nascer, processado e transformado em pó.

     

    O colostro é constituído por componentes importantes como gordura, imunoglobulinas (anticorpos), sólidos totais, vitaminas, minerais e outros nutrientes essenciais, sendo único e imprescindível, pois os bezerros nascem sem defesas imunológicas (devido à estrutura da placenta dos ruminantes) e a ingestão do colostro é o único meio do recém-nascido receber imunidade passiva, através dos anticorpos da mãe.

     

    Segundo Rafael Azevedo, gerente deste produto, é comprovado que o fornecimento de um colostro de qualidade traz inúmeros benefícios para os bezerros, como menor susceptibilidade a doenças e menores taxas de mortalidade, além de controle da temperatura corporal após o nascimento e imunidade necessária contra agentes infecciosos durante as primeiras semanas de vida.

     

    Estudos apontam que animais que recebem colostro em quantidade e qualidade certa, nas primeiras horas de vida, são mais saudáveis, consequentemente ganham mais peso, e assim poderão expressar todo o seu potencial genético de produção.  Em contrapartida, quando os animais não são alimentados com colostro de qualidade, e recebem produtos como o leite de transição (produzido após a primeira ordenha) ou leite integral, eles apresentam menor desempenho.

     

    “Não é sempre que as matrizes conseguem produzir colostro com qualidade nutricional e sanitária ideal para as suas crias. De 827 amostras de colostros produzidas por vacas nos Estados Unidos, somente 39% foram consideradas de qualidade imunológica e sanitária (Morril et al., 2012). Assim, a alternativa da venda do produto natural em pó vem ganhando cada vez mais espaço na pecuária, uma vez que o colostro é determinante no desempenho e no futuro produtivo do animal”, explica o gerente.

     

    O colostro bovino em pó já é comercializado em diversos países, como Estados Unidos, Canadá, México e Irlanda, e chega ao Brasil, através da Alta, para proporcionar uma correta colostragem (fornecimento de colostro de qualidade, imediatamente após o parto) dos recém-nascidos, possibilitando que eles possam expressar todo o seu potencial genético ao longo da vida.  

     

    Além dos demais benefícios, em fazendas onde não é produzido colostro com qualidade sanitária ou que tenha incidência de doenças que podem ser transmitidas pelo colostro, o uso do colostro em pó se torna essencial para os programas de prevenção e auxílio na erradicação de doenças, demonstrando a importância da utilização do produto em pó que chega ao mercado brasileiro livre de todas possíveis contaminações.

     

    Produção

    O colostro em pó é produzido há 23 anos pela parceira Saskatoon Colostrum Company Ltd (SCCL), empresa com sede no Canadá e que faz parte do grupo Koepon, holding da qual a Alta pertence. A SCCL coleta colostro de qualidade de mais de 1400 fazendas no Canadá, as quais possuem excelência em suas atividades e são aptas a fornecerem para a SCCL o produto natural de qualidade como fonte para a produção do colostro bovino em pó. No total, mais de um milhão de doses são produzidas anualmente, com distribuição em quatro continentes.

     

    De acordo com Heverardo Carvalho, Diretor da Alta, o colostro bovino em pó é a nova aposta da empresa, que está sempre atenta às novidades e às tecnologias presentes no mercado do agronegócio. O produto que será comercializado é exatamente o produto natural feito pela mãe natureza, apenas transformado em pó.

     

    “É consistente, padronizado, livre de contaminações, sendo testado quanto à potência, pureza, segurança e eficácia, e apresenta todos os níveis garantidos para a saúde dos recém-nascidos e para um melhor desenvolvimento e produtividade ao longo da vida, além de atender às especificações de controle de qualidade para distribuição global. A Alta fomenta o melhoramento genético dos animais em sua totalidade, e para isso, é de suma importância que os bezerros, frutos dessa genética, recebam cuidados importantes como a colostragem”, completa o Diretor.

     

    O Consultor de Imunologia da SCCL, Manuel Campos, ressalta a importância da colostragem, como principal medida na prevenção de doenças, como a diarreia em bezerros. “Além de uma possível contaminação ambiental, o próprio colostro da mãe pode ser uma fonte de infecção por agentes infecciosos que persistem em rebanhos leiteiros. A única maneira de eliminar esta incerteza é utilizar o produto em pó, produzido com o colostro natural e livre de doenças. É uma estratégia efetiva de atenuação do risco de transmissão de muitas doenças”, afirma o Consultor.

    Sobre a Alta Genetics

    A Alta Genetics é líder no mercado de melhoramento genético bovino do mundo. Com matriz localizada em Calgary, no Canadá, atua em mais de 90 países com nove centrais de coleta: Brasil, Estados Unidos, Canadá, Argentina, Holanda e China. Com 20 anos de história no Brasil, a empresa está sediada na cidade de Uberaba/MG, e tem como missão orientar pecuaristas sobre a melhor maneira de usar a genética aliada ao manejo, nutrição, ambiente, gestão e todos os processos para garantir um animal com todo o seu potencial genético. O compromisso da Alta é criar valor, entregar o melhor resultado e construir confiança com seus clientes e parceiros, em busca do desenvolvimento da pecuária. Mais informações no website: http://www.altagenetics.com.br

    Data: 11/04/2017
  5. Exportações de sêmen bovino crescem 33,1% e mercado interno inicia reação
    Fonte:Assessoria de Imprensa | Grupo Publique

    As vendas de sêmen bovino em 2016 refletiram as oscilações do mercado em decorrência da crise econômica que afeta o país. Dados do relatório da Associação Brasileira de Inseminação Artificial (ASBIA) apontam que foram comercializadas 11.723.738 doses de sêmen no ano passado, uma queda de 7% em relação a 2015. Como muitas propriedades tinham grandes estoques de sêmen isso contribuiu para uma menor procura por material genético das raças de corte. Outro fator que influenciou fortemente o resultado de 2016 foi o clima. A seca nas regiões Centro-Oeste e Norte prejudicou a condição corporal dos rebanhos e fez com que a estação reprodutiva atrasasse, jogando uma boa parte das vendas de sêmen para o início de 2017.

    No leite, cuja queda era de 27% no primeiro semestre de 2016, houve uma importante recuperação. A redução dos custos de produção em decorrência de preços menores do milho influenciou positivamente o mercado de genética, permitindo que os produtores tivessem uma margem maior para investir na inseminação artificial. Foram comercializadas 3.699.057 doses vendidas, 14,5% menor que 2015. “Se compararmos com o primeiro semestre, podemos dizer que o mercado de genética leiteira reagiu muito bem e mostrou sinais de recuperação no segundo semestre.”, diz Sergio Saud, presidente da ASBIA.

    Nas vendas de sêmen para Corte, o Mato Grosso assumiu a liderança, seguido pelo Mato Grosso do Sul, que em 2015, detinha o maior volume de sêmen, e, na terceira posição, vem Goiás. Já no Leite, o líder continua sendo Minas Gerais, seguido pelos três estados do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

    Exportações

    Se as vendas internas seguiram em ritmo menor que o de 2015, quando o total comercializado chegou a 12.606.703 doses, o mercado externo deu sinais de que continua interessado na genética bovina brasileira. As exportações cresceram 33,1%, totalizando 296.371 (Corte e Leite).

    Os países que mais importaram nossa genética de Corte foram Paraguai, Bolívia e Argentina. As exportações de Corte atingiram um total de quase 135.000 doses, representando um crescimento de 30% em relação a 2015. A exportação de sêmen das raças leiteiras brasileiras cresceu 36%, atingindo a marca de 162.000 doses, com destaque para Colômbia, Costa Rica e Equador.

    Vale destacar que Índia, Sri Lanka e Moçambique começam a despontar como destinos para a genética brasileira.

    Expectativa- Segundo o presidente da ASBIA, a expectativa para o setor em 2017 são animadoras e o ano deve registrar um crescimento nas vendas de sêmen. "Tudo indica que os criadores vão voltar a investir, fortemente, em uma genética melhoradora para assegurar que terão bons produtos para serem comercializados, daqui a 2 ou 3 anos, quando a economia brasileira, certamente, já estará de volta ao ritmo de crescimento.", finaliza Saud.

    Informações para a Imprensa Grupo Publique
    (11) 9.9382.1999 – assessoria@publique.com – com Priscila Pontes
    (11) 9.7081.0561 – larissa@publique.com – com Larissa Rodrigues
    (11) 9.8839.1991 – renato@publique.com – com Renato Ponzio
    (11) 9.9105.2030 – carlos@publique.com – com Carlão da Publique

    Data: 11/04/2017
 
 

Contato

Endereço: Praça Vicentino Rodrigues da Cunha, 110 – Quadra 11 / Lote 4 - Parque Fernando Costa
Bairro São Benedito / Uberaba-MG
Telefone: (34) 3333-1403
E-mail: asbia@asbia.org.br
Momesso Web Studio