Selecione o mês: Novembro / 2017

  1. Morre touro Donato Naviraí, um dos mais valorizados da raça Nelore
    Fonte:Assessoria de Imprensa | Alta Genetics

    Touro fez história na Alta comercializando mais de 300 mil doses de sêmen

    A Alta Genetics notifica a morte do touro Donato Naviraí. Aos treze anos de idade, o animal fez história na Central, sendo um dos touros mais valorizados da raça Nelore. Donato Naviraí chegou a Alta em 2006, vendendo 308.107 doses e produzindo 326.881 doses de sêmen, deixando assim um legado ainda disponível na Alta.

    Touro consagrado conquistou a liderança em cinco sumários, com destaque para ANCP, PMGZ, Geneplus e Nelore Qualitas. Filho de Atma de Naviraí em vaca Rambo da MN, o reprodutor foi largamente utilizado em rebanhos puros para produção de touros e também para disputar campeonatos da raça. Ao longo de todo sua vida, gerou 4,5 mil filhos avaliados pela ANCP, além de concebeu 15 mil filhos avaliados em 900 rebanhos associados ao PMGZ.

    Donato é da propriedade da Agro Maripá, resultado da colaboração entre os produtores Marcelo Baptista de Oliveira e Cláudio Sabino Carvalho. Conquistou popularidade no mercado do Nelore pela capacidade de transmitir ganho de peso e equilíbrio em volume de carcaça para seus filhos, atributos que o levaram a liderança de sumários.

    “Sem dúvida um dos principais touros da raça nelore, representando toda a essência do trabalho de Claudio Sabino Carvalho. O touro fazer de animais com “cara de negócio”, produzindo fêmeas produtivas e longevas, além de machos de alto valor agregado, não sendo atoa, considerado um dos melhores touros produzido dentro da Chácara Naviraí, uma das propriedades de maior sucesso na produção de touros de Central”, ressalta Rafael Oliveira, gerente de produto Corte Zebu da Alta Genetics.

    Fatos mostram a relevância desse grande produtor, como o privilégio de ter duas grandes matrizes (TOP 0,1%) em sua genealogia: Batina SM e Romália (mãe do raçador Tecelão), ambas com ótimas réguas de DEPs para características maternais. Além disso, no 2º Leilão TOP Produção Agro Maripá, realizado recentemente na ExpoGenética, em Uberaba (MG), um neto de Donato alcançou o preço máximo de R$ 45.000 da Fazenda Sant'Anna, de Jovelino Carvalho Mineiro. O valor esteve entre os maiores registrados na exposição mineira.

    Donato morreu na última quinta-feira, 16 de novembro, após ter anunciado aposentadoria em setembro deste ano.

    Sobre a Alta Genetics

    A Alta Genetics é líder no mercado de melhoramento genético bovino do mundo. Com matriz localizada em Calgary, no Canadá, atua em mais de 90 países com nove centrais de coleta: Brasil, Estados Unidos, Canadá, Argentina, Holanda e China. Com 20 anos de história no Brasil, a empresa está sediada na cidade de Uberaba/MG, e tem como missão orientar pecuaristas sobre a melhor maneira de usar a genética aliada ao manejo, nutrição, ambiente, gestão e todos os processos para garantir um animal com todo o seu potencial genético. O compromisso da Alta é criar valor, entregar o melhor resultado e construir confiança com seus clientes e parceiros, em busca do desenvolvimento da pecuária. Mais informações no website: http://www.altagenetics.com.br.

    Data: 21/11/2017
  2. Alta desenvolve programa inédito para criação de bezerras leiteiras
    Fonte:Assessoria de Imprensa | Alta Genetics

    Programa será lançado durante o 1º Encontro Alta Cria, com a participação dos principais pesquisadores, técnicos e criadores da área

    A Alta Genetics, líder no mercado de melhoramento genético bovino do mundo, desenvolveu o primeiro programa de coleta de dados e orientação aos pecuaristas na criação de bezerras leiteiras. O Alta Cria, inédito no Brasil, será lançado oficialmente durante o 1º Encontro Alta Cria, no dia 24 de novembro de 2017, em Uberaba-MG. O objetivo do evento é debater sobre os principais desafios na criação de bezerras leiteiras e apresentar os primeiros resultados do programa.

    O encontro, que acontecerá na seda da Alta, contará com a presença de renomados pesquisadores da área, entre eles a professora da Universidade Federal de Minas Gerais, Dra. Sandra Gesteira e a professora Dra. Carla Bittar, da ESALQ/USP, ambas referências em estudos com criação de bezerras leiteiras no país.

    O evento contará ainda, com a apresentação de casos de sucesso como da Fazenda MelkStad e da Fazenda Boa Fé, que participaram na primeira etapa do programa. O Alta Cria visa auxiliar o produtor na expressão de todo o potencial produtivo do seu rebanho, através do levantamento dos principais índices zootécnicos na fase de cria, auxiliando no gerenciamento e permitindo um panorama da criação nacional de bezerras leiteiras.

    “O projeto nasceu da necessidade de levantarmos um panorama de como estava a criação de bezerras leiteiras no país, em diferentes sistemas de produção. Hoje os dados são coletados periodicamente em cerca de 40 propriedades em todo o país. A partir desses, podemos traçar parâmetros de produção e orientar o criador da melhor forma possível”, explica, Rafael Azevedo, gerente de produtor colostro da Alta Brasil.

    Para obter vacas leiteiras produtivas e saudáveis é fundamental investir na criação de bezerras. É comprovado que bezerras bem nutridas, em boas condições de saúde e bem-estar, produzem mais leite em suas lactações, justificando o melhor tratamento recebido nesta etapa de criação.

    Os benefícios do manejo adequado, porém, vão além da produção de leite na primeira lactação, estendendo-se durante toda a vida produtiva dos animais e, ainda, diminuindo a idade de descarte dos animais. Desta forma, os cuidados dispendidos nesta fase de criação devem ser vistos como um investimento na produção futura.

    Neste sentido, saber gerenciar os números e conhecer os principais índices zootécnicos é fundamental para traçar metas, objetivos e estratégias que irão definir o sucesso da criação dos bezerros, bem como auxiliar na tomada de decisões de manejos e nos rumos da ciência nacional.

    Serviço

    Data: 24 de novembro de 2017

    Local: Central Alta – BR 050, KM 164, Uberaba (MG)

     

    Horário: a partir das 8h00

     

    Sobre a Alta Genetics

    A Alta Genetics é líder no mercado de melhoramento genético bovino do mundo. Com matriz localizada em Calgary, no Canadá, atua em mais de 90 países com nove centrais de coleta: Brasil, Estados Unidos, Canadá, Argentina, Holanda e China. Com 20 anos de história no Brasil, a empresa está sediada na cidade de Uberaba/MG, e tem como missão orientar pecuaristas sobre a melhor maneira de usar a genética aliada ao manejo, nutrição, ambiente, gestão e todos os processos para garantir um animal com todo o seu potencial genético. O compromisso da Alta é criar valor, entregar o melhor resultado e construir confiança com seus clientes e parceiros, em busca do desenvolvimento da pecuária. Mais informações no website: http://www.altagenetics.com.br.

    Data: 09/11/2017
  3. CRI Genética inicia trabalho com a raça Devon
    Fonte:Assessoria de Imprensa

    O primeiro animal contratado é o touro Brado de Santa Alice

    A CRI Genética, uma das empresas líderes no segmento de inseminação artificial (IA) no Brasil, contratou o touro Brado de Santa Alice 1180, dando início ao trabalho da empresa com a raça Devon. O animal, de propriedade do pecuarista Henrique Olmedo Ribas, foi Campeão Júnior da raça Devon e Reservado de Grande Campeão durante a Expointer 2016 e conquistou o Campeonato do troféu José Almeida Collares (conferido aos Campeões do CDP) na edição de 2017.

    A Cabanha Santa Alice, localizada em Santa Maria (RS), participa do programa Ruby Beef, criado com o objetivo de trazer ao mercado nacional de carnes uma oportunidade diferenciada em consumo de carnes a pasto e com "Terroir" local. Henrique Ribas explica que as bases do programa envolvem a produção de animais jovens, da raça Devon (e cruzas com outras raças de corte), jovens e produzidos essencialmente a pasto. “O compromisso é oferecer sempre aos consumidores uma carne fresquinha (livre de congelamento) e que atenda os padrões de qualidade e exigência dos paladares mais apurados em padrão gourmet”.

    A gerente de produto corte da CRI, Juliana Ferragute, explica que ficou muito interessada pelo trabalho que a Santa Alice vem fazendo juntamente com parceiros no projeto Ruby Beef. “Não é apenas a seleção de uma raça e sim um projeto de carne de qualidade. O Brado é um dos touros que vai poder atender a demanda do projeto. Um touro que une o excelente padrão racial com desempenho e qualidade de carcaça.”

    “Me traz felicidade e entusiasmo esse primeiro grande passo que a CRI está dando ao trazer à luz do mercado de sêmen bovino, uma raça que reúne tantas características importantes no que se refere à fertilidade, habilidade materna, capacidade de produção e qualidade de carne. Tenho certeza que assim que os produtores, detentores de rebanhos comerciais com foco em produtividade, tiverem a oportunidade de utilizar sêmen de reprodutores Devon em suas matrizes, irão comprovar a rusticidade, adaptabilidade e resultados que os reprodutores Devon de alta performance conferem nos produtos oriundos desses acasalamentos. Que esse seja o primeiro de muitos outros reprodutores Devon que virão para agregar ainda mais qualidade ao tão respeitado portfólio de reprodutores de diversas raças já ofertado pela CRI”, finaliza Ribas. 

    Sobre a CRI

    A CRI Genética Brasil é uma das empresas líderes no segmento de inseminação artificial (IA) no Brasil, e atua com foco na venda de qualidade genética nas raças taurinas e zebuínas voltadas para a produção de leite e carne. Como subsidiária da Cooperative Resources International, segue a mesma filosofia da matriz americana: entregar excelência, inovação e valores por meio dos produtos e serviços oferecidos a seus clientes. Estabelecida no Brasil desde junho de 2005, a CRI traz para o país a genética dos melhores touros americanos - com destaque para as raças Holandês, Jersey e Angus - e segue a mesma linha na seleção das raças zebuínas, com foco na produção, na fertilidade e na busca de uma genética diferenciada. Sediada em São Carlos (SP), possui filiais nas cidades de Belo Horizonte (MG), Castro (PR), Goiânia (GO) e Porto Alegre (RS).

    Mais informações: www.crigenetica.com.br

    Data: 01/11/2017
  4. Profit Tour 2017 aproxima brasileiros dos maiores pecuaristas dos EUA
    Fonte:Assessoria de Imprensa

    No mês de outubro, um grupo formado por pecuaristas brasileiros e integrantes da equipe da CRI Genética participou do Profit Tour, programa da CRI Internacional com foco em promover a troca de experiências por meio de visitas a propriedades americanas. Em dez dias foram visitadas diversas fazendas, além da World Dairy Expo, considerada a principal exposição de vacas leiteiras do mundo.

    De acordo com Bruno Scarpa Nilo, gerente de produto leite da CRI, o Profit Tour é de extrema importância para a central. “Esperamos sempre passar para os nossos clientes e parceiros algum conhecimento e pontos que podem ser melhorados para o negócio deles no Brasil. A troca de experiências, as novidades tecnológicas e a oportunidade de conferir in loco são únicas”, aponta.

    O tour teve início com dois dias de visita a WDE em Madison (Wisconsin), depois à estrutura da CRI em Shawano (Wisconsin), onde passaram pelas instalações, conheceram projetos e conferiram alguns dos principais touros que são utilizados no Brasil e no mundo. Posteriormente, agregando experiência à viagem, os visitantes foram até algumas das melhores fazendas produtoras de leite dos EUA. “Entre elas temos a Rockland Dairy, que hoje possui 3 mil vacas ordenhadas e 2.400 bezerras, com média de produção de 48,1kg dia; a Tidy View Dairy, com 6 mil vacas em ordenha, com média de 41kg de média por vaca; e a Hall’s Calf Ranch, uma fazenda que faz a recria de outras 31 fazendas. Hoje a Hall´s Calf Ranch está recriando um total de 8.600 bezerras até 140 dias”, destaca Scarpa.

    Para a médica veterinária e gestora das Fazendas Ouros localizada no Sul de Minas, Ana Cláudia Araújo, o programa foi muito mais do que o esperado. “Visitamos propriedades com diferentes tipos de produção, onde tivemos total acesso ao manejo, além de todas as dúvidas esclarecidas. Estivemos ainda na World Dairy Expo, que nos mostrou uma outra panorâmica da atividade. A experiência foi rica, produtiva, com uma equipe de profissionais sensacional, disponível e com domínio do assunto. Foi realmente fantástico!”, ressalta.

    “A viagem valeu muito para adquirir conhecimentos e novos conceitos de produção, assim como conhecer novos lugares e culturas. Acredito que a maioria das técnicas utilizadas nas propriedades visitadas são muito práticas e funcionais e nada nos impedem de adaptá-las na nossa região. Agradeço a CRI genética por disponibilizar sua equipe técnica e abrir as portas das grandes propriedades americanas”, salienta o médico veterinário Bernard Pozzebon, da Agropecuária Pozzebon, de Rondinha (RS).

    Sobre a CRI

    A CRI Genética Brasil é uma das empresas líderes no segmento de inseminação artificial (IA) no Brasil, e atua com foco na venda de qualidade genética nas raças taurinas e zebuínas voltadas para a produção de leite e carne. Como subsidiária da Cooperative Resources International, segue a mesma filosofia da matriz americana: entregar excelência, inovação e valores por meio dos produtos e serviços oferecidos a seus clientes. Estabelecida no Brasil desde junho de 2005, a CRI traz para o país a genética dos melhores touros americanos - com destaque para as raças Holandês, Jersey e Angus - e segue a mesma linha na seleção das raças zebuínas, com foco na produção, na fertilidade e na busca de uma genética diferenciada. Sediada em São Carlos (SP), possui filiais nas cidades de Belo Horizonte (MG), Castro (PR), Goiânia (GO) e Porto Alegre (RS).

    Mais informações: www.crigenetica.com.br

    Data: 31/10/2017
  5. PAINT, da CRV Lagoa, lança programa genômico HerdOptimizer
    Fonte:Assessoria de Imprensa

    Programa usa a base de dados fenotípicos e genotípicos do PAINT para proporcionar ainda mais acurácia e confiabilidade nos testes

    Atualmente, existem muitas tecnologias voltadas para a genômica, um ramo que estuda o genoma completo dos animais. É possível conseguir informações dos animais que estão no campo apenas com a coleta de um material genético, traçando um perfil completo. Com essas informações, é possível pensar numa projeção de rebanho muito mais eficiente e produtiva para o criador, para ajudá-lo a produzir mais e melhor, com confiabilidade.

    No entanto, há cerca de uma década, se tem trabalhado intensamente para aprimorar os resultados da genômica. Mesmo nos dias de hoje, muitos produtores não realizam uma avaliação genética do rebanho. Mas, com o auxílio de marcadores, é possível fazer uma seleção melhoradora no rebanho.

    Se o produtor for participante de algum programa de melhoramento genético, já é possível usar a genômica em suas avalições genéticas para melhorar a acurácia das informações que irão ajudá-lo no seu objetivo de ter melhores animais.

    Cesar Franzon, gerente de Inovação e Rebanho da CRV Lagoa, explica que a grande base das fazendas brasileiras é composta de fêmeas. “Acreditamos que o cliente pode fazer um trabalho muito grande para melhorar a sua base, inclusive usando touros de centrais que serão ou já foram testados, como os da CRV Lagoa, que possuem avaliação genômica prontas dentro da base de dados do PAINT e outros programas de melhoramento genético”, destaca.

    A seleção genômica, portanto, mostra grandes diferenciais pela rapidez, simplicidade e confiança. Ela encurta o processo na seleção de touros para teste de progênie, diminuindo o intervalo de tempo para a chegada nos animais melhoradores mais rápido e com muito mais eficiência, com uma acurácia maior do que no passado. “Através da seleção genômica, um touro jovem Nelore com quatro anos de idade já pode ter filhos provados, garantindo uma acurácia maior, comprovando o que está sendo dito pela avaliação genômica desses touros”, ressalta Franzon.

    Na raça Nelore, o HerdOptimizer trabalhará com informações fornecidas pelo PAINT. Também envolvida no programa, a Neogen, que possui parceria com o Grupo CRV na Holanda, nos EUA e agora também no Brasil, é o laboratório fornecedor da genotipagem dos animais e do chip especifico para zebu para a realização do teste genômico.

    Na primeira fase do programa, será realizada a avaliação genômica do Nelore para animais que estão dentro dos programas de melhoramento genético. “Os parceiros do PAINT já estão usando e vamos estimular outros programas a participarem conosco dessa genotipagem para aumentar a acurácia de seus resultados”, destaca Franzon.

    Para aumentar a confiabilidade dos testes, a CRV Lagoa pretende genotipar mais de dois mil animais de elevada acurácia até o final deste ano.

    Além disso, estão sendo coletados materiais de 395 touros novos, candidatos a teste de progênie do PAINT. “O sêmen será distribuído dentro dos programas de melhoramento genético, a fim de que, em dois ou três anos, já estejam provados e com elevada acurácia para terem seus dados validados, comprovando que são touros melhoradores e participando da bateria da CRV Lagoa”, explica o gerente.

    As melhores novilhas também estão sendo selecionadas para serem futuras doadoras de embriões para diminuir o intervalo de gerações, produzindo mais cedo e em volume maior para que o progresso seja mais rápido.

    Na segunda fase, a CRV Lagoa irá lançar o HerdOptimizer que contemplará as avaliações dos rebanhos comerciais. A partir de uma seleção, a Central pretende ajudar os produtores a selecionar melhor as fêmeas de sua propriedade com seus objetivos de seleção, quer seja vender bezerros, ter melhores matrizes, etc., sendo possível melhorar todo o rebanho da fazenda. “Queremos entrar no rebanho comercial com a avaliação genômica, avançando progressivamente até que todos as novilhas estejam genotipadas. A partir daí o produtor usará os nossos touros genotipados para acasalar e, no futuro, terá um rebanho mais eficiente e produtivo” destaca Cesar Franzon.

    O programa de avaliação genômica já é utilizado no PAINT há quatro anos, mas está sendo intensificado, aumentando o número de animais e da base de dados. Encurtar o tempo da seleção para separar os melhores animais para o teste de progênie fará com que eles tenham sêmen mais cedo disponível no mercado para serem testados e provados e ainda tenham a chance de sair em sumários já com avaliações confiáveis. Com um touro genômico e a avaliação de uma vaca também genômica, é possível fazer um acasalamento a partir desses dois critérios baseado na genômica. “O uso da genômica é uma forma de começar a aprimorar alguns rebanhos, sabendo que no futuro será uma tendência de avançar para chegar nos pontos de melhoria e progresso genético mais rapidamente”, ressalta Franzon.

    O HerdOptimizer permitirá enxergar algumas características de difícil mensuração, como avaliação de carcaça, eficiência alimentar e precocidade sexual. Será possível aliar o que um animal tem, por exemplo, através de uma base de dados de avaliação de eficiência alimentar e de carcaça do CP CRV Lagoa, e transcrever para o DNA do animal avaliado que ainda não participou de testes.

    Data: 30/10/2017
 
 

Contato

Endereço: Praça Vicentino Rodrigues da Cunha, 110 – Quadra 11 / Lote 4 - Parque Fernando Costa
Bairro São Benedito / Uberaba-MG
Telefone: (34) 3333-1403
E-mail: asbia@asbia.org.br
Momesso Web Studio